Carpetes

Como tudo, há os que amam e os que odeiam, ele é conforto para uns e um incômodo para outros. Mas ele está aí, cada dia mais cheio de recursos para atender aos alérgicos, cheio de cores e estampas para encher os olhos e até personalizado, para ser exclusivo.




Mas a verdade é que este revestimento têxtil, constituído principalmente por uma espécie de tela grossa tecida de algodão, juta ou pelo precisa de observação ao ser adquirido, a qualidade é fundamental independente da finalidade.

Para comprar um bom carpete, verifique a etiqueta colocada no verso, onde constam informações sobre a composição da base e da superfície. Essa etiqueta é obrigatória por lei, e você de vê exigi-la na hora da compra.

A qualidade de um carpete esta ligada a viários fatores, como tipo de fibra ou fio, processo de fabricação, a limpeza, a manutenção e o sistema de colocação.

Ele tem que ser resistente ao desgaste, ou seja, deve manter por bom tempo o aspecto de novo. Tem que ter resiliência , isto é, depois de uma certa pressão, as fibras precisão voltar rapidamente à posição original.

Estabilidade dimensional também é importante: a base precisa ser adequada e a armação dos fios perfeita, assim como a solidez das cores, o tingimento, espessura, cor e brilho.

Esses dados são difíceis de serem checados. Porém, se você manusear o carpete, tentando ver a base através das fibras e não conseguir, isso já é um indicador de que se trata de um bom produto.

Para apresentar todas essas propriedades, o carpete tem que ser denso e a s fibras precisa preencher adequadamente a base.   

É isso. Até a próxima e beijos!