Critérios para a escolha do revestimento

Oi! Como foi o fim de semana? 

Como estão os projetos? Seja qual for o projeto, tenha um.

Se não começou, está na hora de começar... Mãos a obra e bom trabalho!   

O mercado oferece diversos tipos de revestimento, variando entre cerâmicas, porcelanatos, pastilhas, mármores, granitos, ardósias e pedras naturais rústicas.

Porcelanatos, pastilhas e pedras possuem características diferentes das cerâmicas comuns, por isso exigem argamassas específicas. Não existe, porém, uma Norma Brasileira (NBR) que determine especificações para esses tipos de revestimentos.

Para orientar o seu trabalho, algumas características dessas diferentes cerâmicas são apresentadas a seguir:

Porcelanato
É uma variação de placa cerâmica, em que o processo de fabricação e matérias-primas utilizadas resulta em um produto de baixa absorção de água (_< 0,5%). Também é conhecido como grés porcelanato ou grés porcelânico.
No mercado, existem porcelanatos com três tipos de acabamento: natural, polido e esmaltado.

Pastilhas de porcelana
É um conjunto de placas porcelânicas de pequenas dimensões, com alta dureza, baixo índice de absorção de água (_< 0,5%), muito utilizado no revestimento de piscinas e fachadas. Geralmente, as placas vêm colocadas em papel kraft ou unidas com ponto de cola. No mercado, encontram-se pastilhas com dois tipos de acabamento: natural e esmaltado.

Pastilhas de vidro
São peças de vidro de pequenas dimensões, de alta dureza, muito utilizadas em piscinas e fachadas.

São fornecidas em placas colocadas em papel kraft.

Pedras naturais



Muito utilizadas no acabamento de pisos e paredes, as pedras naturais se diferenciam dos demais tipos de revestimentos, pois não possuem porosidade, densidade ou mesmo uma aparência uniforme, podendo variar de lote para lote.

As exigências na sua aplicação também são muito diferentes das de uma cerâmica convencional. Uma das principais características dessas pedras é a diferença de espessura entre as placas (calibragem), o que dificulta o assentamento para conseguir uma superfície nivelada. Para se conseguir assentar essas pedras, necessário utilizar uma argamassa específica, capaz de proporcionar um acabamento nivelado na superfície e com alta aderência.

Semana que vem falaremos destas argamassas.

Bom, espero que aproveite as dicas...  é isso aí!

Boa semana...

Cristiane Vilela